Foram comercializados pelas unidades produtoras do Centro-Sul 1,05 bilhão de litros

Ainda sob o efeito da queda no consumo, após as disparada dos preços na entressafra, as vendas domésticas de etanol hidratado pelas unidades produtoras do Centro-Sul do Brasil somaram 1,05 bilhão de litros em maio, baixa de 24,71% ante o volume de maio de 2010, de 1,39 bilhão de litros. Os dados, da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), mostram ainda a venda de 630,26 milhões de litros na última quinzena do mês.

Com a forte migração do hidratado para a gasolina nos veículos flex fuel, as vendas de etanol anidro, misturado em 25% ao combustível de petróleo, somaram 654,16 milhões de litros em maio, alta de 19,23% antes o mesmo mês de 2010. Na segunda quinzena de maio, o volume comercializado do produto totalizou 325,91 milhões de litros, ante 294,69 milhões de litros em igual período do ano passado, alta de 10,59%.

No total de maio, as vendas de etanol pelas unidades produtoras do Centro-Sul somaram 1,81 bilhão de litros entre mercados interno e exportações, dos quais 694,19 milhões de litros de etanol anidro e 1,12 bilhão de litros de etanol hidratado. Do volume total, 93,9%, 1,7 bilhão de litros foram para o mercado interno, e 6,10%, ou cerca de 110 milhões de litros, para o mercado externo.

–O etanol exportado, principalmente na segunda quinzena de maio, foi essencialmente para fins não carburantes e visou o cumprimento de contratos de exportação previamente estabelecidos, que devem totalizar cerca de 1,3 bilhão de litros nesta safra – relata o diretor técnico da Unica, Antonio Pádua Rodrigues.

No total da safra passada, as exportações chegaram a 1,7 bilhão de litros. A Unica informou ainda que as unidades produtoras do Centro-Sul importaram 75,79 milhões de litros de etanol anidro. Esse volume, somado aos 113,70 milhões de litros adquiridos externamente em abril, fazem com que as importações totais alcancem 189,49 milhões de litros de anidro, volume exclusivamente direcionado para atendimento do mercado doméstico.

Fonte: Portal do Agronegócio

.