Os preços da soja no Brasil continuam em patamares recordes, de acordo com levantamentos do Cepea. Entre 13 e 20 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (produto transferido para armazéns do porto de Paranaguá) avançou 0,87%, fechando a R$ 60,50/saca de 60 kg nessa sexta-feira, 20. 

Já ao ser convertido para dólar (moeda prevista nos contratos futuros da BM&FBovespa), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa fechou a US$ 32,30/sc de 60 kg na sexta, baixa de 1% no período. A média ponderada das regiões paranaenses, refletida no Indicador CEPEA/ESALQ, subiu 1,36% entre 13 e 20 de abril, indo para R$ 58,01/sc de 60 kg na sexta. O fato é que ainda há expectativa de redução da safra da América do Sul e as incertezas sobre a safra norte-americana ainda são grandes. 

Para alguns, os bons preços podem fazer com que a redução de área nos Estados Unidos seja menor que a prevista pelo USDA no final de março. Neste cenário, a demanda pela soja brasileira segue aquecida, elevando os preços. Enquanto isso, processadoras nacionais tentam elevar seus estoques do grão, se programando para o segundo semestre, quando tudo indica que haverá pouca disponibilidade de soja. Com isso, aumenta a disputa pelo produto. 

Fonte: Cepea

.