A quebra da safra de soja na Argentina melhorou a comercialização da safra brasileira e fez com que o Brasil atingisse o maior volume semanal comercializado da temporada na última semana, com os produtores negociando cerca de 3,5 milhões de toneladas.

 

A Argentina é hoje líder na produção de óleo e farelo de soja. A seca no país destrava o mercado no Brasil e indica uma redução no potencial de exportação do país vizinho, que hoje está na terceira posição nos embarques do grão, atrás do Brasil e dos Estados Unidos.

 

O grande impacto para os brasileiros seria, principalmente, na venda de mais farelo, uma vez que haverá maior disponibilidade. A maior parte da produção de biodiesel no Brasil tem a soja como matéria-prima, cujo processamento resulta na produção de farelo e óleo.

 

A Abiove, Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais, projeta uma exportação de 16,2 milhões de toneladas de farelo de soja do Brasil em 2018, de uma produção total de 32,7 milhões, de acordo com estimativa feita em dezembro pela associação. Esses números, agora, devem ser alterados nas próximas projeções devido a situação do país vizinho.

 

Fonte: Notícias Agrícolas