Setor de máquinas agrícolas deve crescer com a economia brasileira em 2021, segundo a Anfavea (Associação Nacional de dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Luiz Carlos Moraes, presidente da entidade, ressalta “O Brasil vai crescer, mas temos desafios que vão afetar este movimento”.

Ele destacou, em coletiva de imprensa, os principais desafios que serão enfrentados: a questão fiscal impacta diretamente levando em conta o controle dos gastos pelo governo e a dívida do país; o câmbio deve seguir exercendo pressão sobre os preços, principalmente sobre os insumos importados; a fragilidade do mercado de trabalho também traz incertezas. Moraes lamentou a crise sanitária e a chegada do Brasil à marca de 200 mil mortes pela Covid-19.

 

Presidente e vice, Alexandre Bernardes, da Anfavea fazem projeções positivas para 2021.

A venda de máquinas agrícolas no Brasil deve crescer 5% em 2021. Segundo a Anfavea, o número deve passar de 41,8 mil unidades em 2020 para 50,3 mil unidades neste ano.

As exportações tem crescimento projetado em 9%, passando de 8,6 mil para 9,4 mil unidades em 2021. A produção de máquinas agrícolas tem o maior crescimento percentual projetado – 23% – passando de 47,9 mil unidades em 202 para 58,8 mil unidades em 2021.

Na macroeconomia, a entidade vê expectativa de crescimento de 3,5% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil sobre 2020. No crédito, as condições – prazos e taxas – são favoráveis. A projeção é de que a Selic suba para 3%. Os preços devem ser pressionados pelo aumento de custos, com IPCA de 4%. A entidade imagina que o dólar flutue na faixa de R$ 5,00, com eventuais volatilidades. Por fim, a confiança do consumidor e do investidor está prejudicada no curto prazo, mas a retomada deve acontecer com a vacinação. “Se tivermos uma imunização mais apurada, podemos ter um momento mais propício, com o consumidor mais positivo para fazer investimentos”, projetou Moraes.

Fonte: Safras e Mercado

Iniciamos o ano com notícias animadoras para o segmento de máquinas agrícolas. E nós, da Agrimec, temos a certeza que se depender do empenho do setor certamente as projeções serão confirmadas.