Na manhã desta terça-feira foi divulgado o 9º Levantamento da Safra de Grãos 2018/2019, feito pela Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab.

De acordo com o documento, a produção nacional de grãos está estimada em 238,9 milhões de toneladas, 4,9% (ou 11,2 milhões de t) maior que a safra 2017/2018.

Aumento também está previsto para a área total plantada que deve ser de 62,9 milhões de hectares, acréscimo de 1.191,8 mil hectares.

Os maiores aumentos de áreas foram identificados na soja (672,8 mil hectares), no milho segunda safra (795,3 mil hectares) e no algodão (425 mil hectares).

De acordo com o relatório apresentado, o clima no início da safra contribuiu decisivamente para o avanço do plantio, sobretudo para a soja, criando uma condição de janela favorável à semeadura das culturas de segunda safra.

As principais culturas produzidas no país

Soja, milho, arroz e algodão são as principais culturas produzidas no país e, juntas, representam 94,7% do que será produzido nesta safra.

A seguir você confere o comportamento de cada uma delas para o ciclo 2018/2019.

Algodão

O bom desempenho das cotações fizeram os produtores nacionais investirem no cultivo do algodão nessa safra, o que ocasionou um recorde na área plantada.

Serão 36,2% a mais que os 1.174,7 mil hectares da temporada passada.

Entre os demais fatores em destaque para tal desempenho estão o clima favorável, a taxa de câmbio, a redução dos níveis de estoques internacionais e o bom ritmo das exportações brasileiras.

Destaque também para o Mato Grosos e a Bahia que dispõem de mais de 88% da área estimada para a cotonicultura em 2018/19.

Arroz

Essencial para a segurança alimentar e nutricional de mais da metade da população mundial, o arroz é produzido em todo o país, com concentração máxima no estado do Rio Grande do Sul, de onde provém mais de 70% de toda a oferta nacional.

O relatório apresentado pela Conab, no entanto, apenas confirmou o que as instituições ligadas ao cereal já previam: o Brasil colheu a menor safra de arroz dos últimos 15 anos.

Com a finalização da safra gaúcha na semana passada, o Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) apontou a safra do estado como a menor dos últimos 11 anos.

Para o ciclo 2018/2019 estão sendo previstas 10,5 milhões de toneladas, um recuo de 12,9% em relação ao ano passado, devido, principalmente, a quebra da safra gaúcha, ocasionada pelo excesso de chuvas na fase de maturação da planta.

Santa Catarina, Mato Grosso e Tocantins também tiveram suas produções reduzidas.

Os produtores de arroz enfrentam ainda uma grave crise que afeta o setor há alguns anos.

São batalhas diárias travadas em busca de alternativas para melhorar a valorização do produto, de maneira que o preço consiga cobrir as despesas com produção e colheita.

Milho

A produção total deverá atingir 97 milhões toneladas, representando um aumento de 20,2% em relação à temporada passada.

O milho primeira safra está estimado em 26,3 milhões de toneladas. A região sul do Brasil ganha destaque por produzir mais de 45% desse total.

Esse ainda terá uma redução de 2% na área, especialmente nos estado de Minas Gerais, Maranhão e Piauí.

O de segunda safra, ao contrário, teve um acréscimo de 6,9% na área, em comparação com o período passado e considerável aumento de 31,1% na produção.

Por fim, a produção total de milho deverá atingir 97 milhões toneladas, representando um aumento de 20,2%.

Para a Conab, o forte aumento na área plantada e a expectativa positiva na produção deverão estabelecer novos recordes nacionais, contribuindo para que a produção, englobando a primeira e segunda safras, se transforme na segunda maior safra do cereal produzida no país.

Soja

Depois da segunda maior safra de soja da série histórica da Conab registrada no ano passado, para agora está sendo estimada uma produção de 114,8 milhões de toneladas, 3,7% inferior.

A área plantada mantém uma tendência de crescimento em relação ao ano passado de 1,9%, correspondendo ao plantio de 35.822 mil hectares.

Fonte: Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab.