Em Mato Grosso do Sul, há previsão de aumento de 22% da colheita. 
No Paraná, a expectativa é colher 8% a mais do que na safra passada.

A safra de cana deve ser maior este ano e os agricultores estão satisfeitos. O Globo Rural foi ver a situação em São Paulo, em Mato Grosso e no Paraná.

No estado de São Paulo a safra começou há um mês e meio e as 180 usinas paulistas trabalham a todo o vapor. A colheita este ano deve ultrapassar 354 milhões de toneladas. O volume é 2% do que o registrado em 2010.
A chuva abaixo da média no final do ano passado interferiu no desenvolvimento da cana para esta safra. Também teve o motivo financeiro. Houve falta de investimento em renovação dos canaviais nos últimos anos. Quanto mais velho o estágio de corte, menor a produtividade.
Os produtores que investiram no canavial estão otimistas. O agricultor Breno Fontão tem uma área de 200 hectares prestes a ser colhida. Ele espera receber de R$ 45 a R$ 50 por tonelada. É um valor 12% do que o recebido na safra passada.
“Com essa melhora de preço as próximas safras serão bem melhores. Nós vamos ter condição de investir em defensivos e em maior quantidade de adubo para que a produção seja melhor”, justifica Fontão.
O estado de São Paulo responde por 55% da produção nacional. Mesmo com a redução na produção paulista, a safra brasileira deverá crescer cerca de 3% em relação à anterior. O motivo é a boa produtividade nos outros estados. É o caso de Mato Grosso do Sul.
Mato Grosso do Sul está entre os cinco estados que mais produzem cana-de-açúcar. Tradicionalmente, a maior parte da safra é destinada à produção de etanol.
Neste início de safra, os produtores colheram cinco milhões de toneladas de cana. Isso representa mais de 10% da safra.
O agricultor Janes Aires está contente com o crescimento do setor. A remuneração paga pela indústria está bem maior do que nas safras anteriores. “A cana hoje é um bom momento. Pagam um bom valor pela cana. Então, o proprietário ganha mais”, explica.
Em todo estado do Paraná são 670 mil hectares plantados com cana. A maior parte é destinada à produção de açúcar.
A atividade canavieira está presente em cerca de 140 municípios do estado, gerando 85 mil postos de trabalho diretos e 500 mil indiretos. A fazenda do agricultor Alcindo de Souza Franco fica em Mirador, no noroeste do Paraná, e mostra bem a realidade do estado. Há muito otimismo com a safra 2011. “O resultado financeiro é muito bom. A cana está girando por mais de R$ 40 a tonelada. Eu acho que está muito bom para o produtor da cana”, justifica.
O preço da cana-de-açúcar, na lavoura, acompanhou a valorização do açúcar e do etanol. O aumento da demanda por esses produtos, no mercado interno e externo, provocou essa alta de preços em comparação a maio do ano passado.

Fonte: G1.

.