Na terça-feira, 24, a Companhia Nacional de Abastecimento, Conab, divulgou os dados do 4º e último levantamento da safra de cana-de-açúcar 2017/2018.

De acordo com os números, a produção teve leve queda, chegando a 633,26 milhões de toneladas, o que corresponde a 3,6% a menos em relação à safra anterior, que foi de 657,18 milhões de toneladas.

A área colhida também diminuiu e fechou 8,73 milhões de hectares, com queda de 3,5% em relação à penúltima safra.

O etanol foi o produto que teve melhor desenvolvimento e se manteve estável. Ao todo, 27,76 bilhões de litros foram produzidos. O anidro, aquele que mistura-se com a gasolina, teve aumento de 0,1% e alcançou os 11,09 bilhões de litros, enquanto que o hidratado teve uma leve redução de 0,3%, concluindo 16,68 bilhões de litros.

Com o direcionamento da produção para o etanol, o açúcar teve retração de 2,1%, somando 37,87 milhões de toneladas.

Com relação aos destaques por região:

  • Região Sudeste: 417,47 milhões de toneladas de cana-de-açúcar processadas, diminuição da área colhida e expectativa de aumento da produtividade;
  • Região Centro-Oeste: 133,66 milhões de toneladas processadas, mesma quantidade de área colhida e leve redução nos patamares de produtividade;
  • Região Nordeste: a boa produtividade garantiu uma produção de 41,14 milhões de toneladas, mesmo com registro de área menor.
  • Região Sul: produção estimada em 37,52 milhões de toneladas com queda de 5,5% na área colhida. Em algumas localidades não foi possível realizar toda a colheita devido ao excesso de chuvas no final da safra;
  • Região Norte: a área cultivada também foi menor, com produção de 3,46 milhões de toneladas.

Fonte: Conab