O Centro de Eventos da cidade de Restinga Sêca, no centro do Rio Grande do Sul, sediou mais uma edição do movimento ‘‘Te Mexe Arrozeiro’’, no sábado, 19.

A mobilização, que ganhou forças nas redes sociais, é uma assembleia pública organizada por produtores e entidades do setor para debater, em todo o Estado, as questões que envolvem o campo da orizicultura e as atuais dificuldades enfrentadas.

Entre as pautas, estiveram as prorrogações e securitizações de dívidas junto aos Bancos, as medidas de contenção das importações ao Mercosul, o preço de comercialização e as novas ações do Movimento.

A principal reinvindicação é em relação ao valor pago pelo grão que, conforme o Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), não cobre os custos de produção.

Segundo o coordenador regional do Irga, Ivo Mello, as instituições têm estruturado estratégias para comercialização junto ao Governo Federal e Estadual, principalmente no que diz respeito ao incentivo das exportações. O Governo Federal deve intervir ainda no mercado ao fazer compras para regularizar os estoques.

O município de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do estado, é o maior produtor de arroz do Brasil e está na reta final da colheita do grão, com mais de 92% do total da área plantada.

Fontes: Rádio e Jornal Integração e G1.globo