As baixas nos preços pagos ao produtor continuam a ser a maior preocupação do setor arrozeiro. Enquanto as cotações do cereal não sobem, agricultores do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, maiores produtores brasileiros da cultura, mobilizam-se a fim de buscar soluções. Como a safra passada sofreu perdas devido ao clima e endividou os produtores, a esperança depositada na safra recorde de 2011 para reaver os prejuízos de 2010 deram lugar a insatisfação, pois os baixos valores pagos não cobrem sequer as dívidas de anos anteriores. O Governo Federal promete absorver 500 mil toneladas da safra pelo preço mínimo estabelecido por Lei (R$ 25,80), porém, os rizicultores defendem a criação do preço-meta, em torno de R$ 30, valor que segundo eles estaria adequado à realidade do mercado.

Fonte: G1

Assessoria de Imprensa Grupo AGRIMEC
Dois Agência de Conteúdo
Texto: João A. M. Filho
joao@doisac.com / 3027 3647
Supervisão: Liana Merladete

.