A análise da temperatura superficial do mar do Pacífico Equatorial indica a permanência de El Niño fraco, com perspectiva de redução lenta para os próximos meses.

Já a temperatura no Atlântico Subtropical, próximo a Região Sul do Brasil, apresenta tendência de inversão das anomalias positivas.

O cenário combinado favorece a redução da chuva no Rio Grande do Sul, além do predomínio de temperaturas mais altas, o que preocupa produtores gaúchos de trigo e outras culturas de inverno.

A falta de frio impacta negativamente o desenvolvimento das lavouras. Quanto à chuva, o ideal é que ocorram em períodos curtos.

Para o mês de julho, são esperadas precipitações pouco abaixo do padrão climatológico nas regiões Norte e Nordeste do estado, em torno de 100 a 150 milímetros.

O prognóstico para as temperaturas mínimas e máximas indica valores médios acima do padrão em todas as regiões neste mês.

As mínimas irão variar entre 7°C e 12°C, enquanto que as máximas devem ficar entre 17°C e 23°C.

Fonte: Jornal Sul Rural