Os valores do farelo e do óleo de soja subiram nos últimos dias, enquanto que o grão registrou cotações em queda. A semana iniciou com negociações em ritmo lento em Chicago.

Pesquisadores do Cepea, Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, afirmam que o aumento nos preços dos derivados está atrelado às expectativas das indústrias brasileiras de ganhar maior fatia na comercialização internacional desses produtos, devido à quebra na safra da Argentina, maior exportador mundial de farelo e óleo de soja.

Mesmo com os estoques reduzidos, consumidores domésticos preferem comprar o farelo aos poucos porque muitos suinocultores e avicultores estão com margens reduzidas ou negativas.

Quanto ao óleo, as compras do segmento de biodiesel estão enfraquecidas. Neste caso, verifica-se disparidade entre os valores de compra e de venda, mas, no geral, os fechamentos ocorrem nos patamares ofertados pela indústria.

Em relação à soja em grão, por sua vez, os preços recuaram devido à maior oferta no Brasil, da queda internacional e da recente desvalorização do dólar frente ao real.

A colheita de soja, no Brasil, atingiu 91,3% da área estimada, de acordo com o levantamento da consultoria Safras&Mercado, com dados recolhidos em 20 de abril.

 

Fonte: Notícias Agrícolas