Há menos de uma semana da 14ª edição da Bahia Farm Show, e depois da alteração de data, a organização do evento espera que a edição deste ano continue a refletir a recuperação do agronegócio no Oeste Baiano, depois das quebras de safra de anos anteriores.

Mesmo cautelosos, a intenção é superar o recorde de negócios na edição de 2017, que foi de R$ 1,531 bilhão.

A colheita da maior safra da história e a necessidade de renovação das tecnologias no campo anima os organizadores, mas a coordenadora da Bahia Farm Show, Rosi Cerrato, pondera que parte dos agricultores baianos ainda tem contas de safras anteriores a acertar, devido ao período de perdas no campo, o que contribui para essa relativa cautela nas projeções.

Ela aposta ainda nos diferenciais da feira, que contará com grande número de maquinário, passando por insumos, implementos e outras soluções tecnológicas, além da internacionalização da feira, iniciada em 2017, e que para este ano já confirma a presença de expositores da Alemanha, Estados Unidos, Espanha e Argentina.

Para a coordenadora, a logística do evento faz com que o público seja mais seleto e visite a feira disposto a fazer negócios.

Para a semana estão sendo aguardados ainda leilões de bovinos, palestras e mesas redondas direcionadas à agricultura empresarial e familiar e uma sessão itinerante da Assembleia Legislativa da Bahia, Alba, para discutir projetos e problemas relacionados ao setor agrícola. É o terceiro ano consecutivo em que a Assembleia ocorrerá.

O público estimado para a 14ª edição do Bahia Farm Show é de 75 mil que visitarão os mais de 200 expositores que estarão durante os cinco dias do evento representando mais de 900 marcas e produtos.

Fontes: Revista Globo Rural e G1.globo