A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em estudo recente, avaliou os efeitos ambientais, econômicos e sociais após dez anos da chegada da cultura canavieira em 30 municípios da região Centro-Sul do Brasil. Ao todo, 269 pessoas foram entrevistas, nos principais estados produtores da cana.

Dentre os principais resultados obtidos notou-se que a geração de emprego e a melhoria das condições de trabalho na indústria sucroenergética são os fatores percebidos como mais positivos, decorrentes da expansão das lavouras e das atividades industriais.

Temas como biodiversidade, qualidade do ar e saúde ganharam novas percepções, principalmente em virtude do avanço da mecanização do plantio e colheita da cana, que extinguiu o uso controlado do fogo, deixando de emitir milhões de toneladas de CO2. Municípios como São Paulo a mecanização já atingiu quase 100% dos canaviais.

A ideia é que o trabalho ajude a formular melhores políticas públicas para este setor, levando em conta as perspectivas locais daqueles que integram a cadeia produtiva da cana, como observa um dos autores.

 

Fonte: Grupo Idea