Produtores já estão de olho na pós-colheita e no preparo para a próxima safra. Planejar é importante.

Dadas as últimas notícias da área, a produtividade média até agora para o arroz é de 7.520 quilos por hectare, 50 quilos por hectare a menos do que na safra passada. Segundo informações do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), o Estado teve 86,22% da área destinada ao cereal na safra 2012/13 colhida até o dia 19 de abril. Foram colhidos 933,314 mil hectares dos 1,082 milhão de hectares plantados. Na semana anterior, o percentual era de 76,53%.

Vale ressaltar que apesar do avanço da colheita de arroz no Rio Grande do Sul, que caminha para a reta final, os preços do produto têm se sustentado. As informações são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Nos três primeiros meses de2013, acotação do arroz acumulou baixa de quase 13%, pressionada pela retração da demanda e pela expectativa de safra bem maior que a anterior.

Além disso, naqueles meses, muitos produtores precisavam “fazer caixa”, visto que parte das dívidas ia vencer. Agora, no entanto, produtores já fizeram caixa para quitar os vencimentos de abril e, com isso, estão retraídos para a venda. Do lado da indústria, muitas estão com necessidade de compras.

Entre 16 e 23 de abril, o Indicador do Arroz em Casca Esalq/Bolsa Brasileira de Mercadorias-BM&FBovespa (Rio Grande do Sul, 58% de grãos inteiros) subiu 2,32%, fechando a R$ 31,76/saca de50 kgna terça, dia 23. Na parcial de abril, o Indicador registra alta de 3,12%.

Independente do cenário, os especialistas apontam que já é tempo de pensar e/ou planejar o preparo do solo para a próxima safra.

A Agrimec, empresa de Santa Maria, que atua no mercado agrícola e possui hoje a mais completa linha de implementos para a lavoura arrozeira, dá algumas dicas de implementos aplicados para esta etapa.

Para drenar a água remanescente no solo pós-colheita, recomenda-se o uso da Valetadeira Rotativa Lateral. Este implemento, geralmente, é usado depois do trabalho dos Rolos Facas. A linha VA Agrimec foi projetada para abrir valas estreitas e profundas, seguindo o rastro do pneu direito do trator. É produto indispensável na lavoura se o sistema de produção for por plantio direto.

Na etapa pós-colheita, outra alternativa usual é o enfardamento da palha para a produção de feno. Neste caso, o Recolhedor de Fardos Cilíndricos de Feno executa com eficiência este trabalho, uma vez que o implemento recolhe e carrega imediatamente os fardos de feno, logo após a ação da enfardadeira, deixando o solo livre para o próximo corte.

No preparo do solo recomenda-se a Plaina Niveladora Multilâminas, que deixa a lavoura pronta para dissecar e receber o plantio direto, sendo que, em uma única operação, executa duplo trabalho (preparo mínimo do solo e aplainamento), sem necessidade de preparo prévio. Outra vantagem é que o implemento pode ser usado como primeira operação em áreas novas, beneficiando o cultivo posterior e diminuindo as gradagens subsequentes.

Para o produtor que gosta de preparar no cedo a lavoura, o implemento mais indicado é a Taipadeira, usada na confecção de taipas de base larga para irrigação. Uma dica importante é fazer as taipas com um mínimo de leiveiros, ou seja, com um rolo de conformação suave para que não haja perda dos espaços de plantio, otimizando o desenvolvimento da planta pela melhor uniformidade da lâmina d’água.

Se além do cultivo do arroz, o produtor também plantar azevém, um produto bem propício para ser aplicado é o do Distribuidor Centrífugo a Lanço, que a Agrimec fabrica nos modelos simples e duplo, com o diferencial de ser em aço inox, o que lhe confere alta durabilidade.

Acesse o nosso site e saiba mais sobre cada um dos implementos nesta mencionados. Aposte no conhecimento prévio. Planejar é aproximar-se do crescimento constante.

 

Assessoria de Imprensa do Grupo AGRIMEC
Liana Merladete 
/ Dois Agência de Conteúdo
imprensa@agrimec.com.br / 55 3222-7710