A proposta de não envolver produtos químicos industrializados na produção de alimentos já é uma tendência global que apresenta crescimento no Brasil. Assim, a fertilização do solo, por exemplo, é feita com elementos naturais, da mesma forma que o controle de pragas é realizado de maneira biológica.

A produção orgânica transcende as frutas, legumes e verduras. Uma vasta seleção de outras produções já está disponível de maneira orgânica para os consumidores, desde ovos, passando por vinhos, refrigerantes e açúcar. O alface está em primeiro lugar das variedades mais consumidas, à frente do tomate e de outras verduras. Com destaque numérico temos ainda o arroz, a banana e o brócolis.

O movimento global atingiu o Brasil e começa a gerar frutos. Levantamentos feitos apontam que 15% da população urbana consome alimentos orgânicos com alguma frequência. Registra, ainda, que a região do país com maior consumo é o Sul. Seis a cada dez pessoas consultadas afirmam que relacionam o consumo de orgânicos à melhorias na saúde. Outras também apontam fatores como a questão ambiental e mesmo curiosidade.

Em junho deste ano aconteceu o maior evento do setor, na cidade de São Paulo, a Biofach America Latina e agregou mais de 400 expositores e em torno de 25 mil participantes.

 

Fonte: Santander Negócios e Empresas