Investimento deve atingir 19% do PIB em 2011, diz presidente do BNDES

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou nesta segunda, dia 6, que o banco tem condições de financiar entre R$ 30 bilhões e R$ 35 bilhões, de 2011 a 2014, para projetos do setor sucroalcooleiro. Ele disse que há maior necessidade de ampliar a produção de cana-de-açúcar para moagem e também incrementar a capacidade produtiva das usinas.

– Existe demanda e pouca oferta de cana. Portanto, é necessário renovação e ampliação dos canaviais que não ocorreu recentemente em função da redução dos investimentos no setor com a crise financeira mundial de 2008. Também é importante aumentar a capacidade produtiva das usinas, sua estocagem, bem como fazer investimentos em desenvolvimento tecnológico, que inclusive dispõem de uma linha de financiamento especial da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) – afirmou, após abertura do Ethanol Summit, evento sobre o mercado de etanol, com sede em São Paulo.

Coutinho destacou ainda que os financiamentos que estão sendo concedidos às empresas do setor dão atenção especial a algumas cláusulas importantes para a melhoria da produtividade, especialmente relacionadas com a mecanização da colheita.

– Isso é importante porque, de um lado, elimina a jornada de trabalho excessiva, dos trabalhadores, e por outro, visa a reduzir a queima da cana – disse.

Ele afirmou que os financiamentos do banco para o setor devem ficar, em 2011, próximos a R$ 7,6 bilhões concedidos pela instituição ao segmento no ano passado. O presidente do BNDES ressaltou que, do início do ano até hoje, o fluxo das linhas de financiamento está semelhante ao registrado no mesmo período de 2010, embora não tenha detalhado números.

Coutinho disse ainda que, devido à elevada demanda de álcool no mercado interno, o principal foco dos investimentos deve ser atender o consumo doméstico do combustível e não a exportação. Ele ressaltou que, dos R$ 7,6 bilhões emprestados no ano passado, R$ 4 bilhões foram destinados à aquisição de máquinas e equipamentos.

Ele também disse que os investimentos como proporção do Produto Interno Bruto (PIB) devem alcançar 19% neste ano. No primeiro trimestre deste ano, o índice alcançou 18,4% do PIB.

– O importante é a tendência de expansão dos investimentos ser mantida ao longo do tempo. Isso mantém um cenário favorável para a Formação Bruta de Capital Fixo no país, que será essencial para atingir um nível de 23% do PIB em 2014 – afirmou. 

Fonte: Canal Rural

.