Veja a íntegra do capítulo de arroz da Intenção de Plantio do 

1º Levantamento da Safra 2011/12 da Conab

Situação geral

A lavoura de arroz da safra 2011/12 no Rio Grande do Sul começou a ser semeada no mês de setembro logo após o solo ter atingido a temperatura mínima para provocar a germinação das sementes. A lavoura semeada nesta época será colhida já no mês de janeiro de 2012, antecipando assim, o início da safra 2011/12. As demais áreas, o preparo do solo está praticamente concluído indicando que a redução de área propalada pela maioria dos consultores agrícolas e parte dos produtores, não será tão efetiva.

Na fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, onde se concentra a produção do arroz irrigado do Estado e do Brasil, a previsão é de que a área cultivada será a mesma mudando apenas a propriedade de algumas lavouras. O pacote de insumos será menor, devido o aumento no custo de produção e a pequena reação do preço do produto nomercado.

Nos demais Estados produtores, a semeadura deverá ser iniciada no mês de outubro, se estendendo até novembro. Em Santa Catarina, segundo maior produtor do arroz irrigado, a variação da área será pequena pois as áreas cultivadas são todas sistematizadas, usam sementes pré-germinadas e dificilmente servem para cultivo de outros produtos. No Paraná a diminuição de área do cultivo irrigado é mínima.

O arroz de sequeiro que em área equivale ao irrigado, vem diminuindo safra a safra, a área de cultivo e só não acontece a queda da produção porque o arroz irrigado vem num constante crescimento de produtividade, com lançamento de novas variedades altamente produtiva e a disseminação do cultivo dos híbridos que alcançam produtividades estupendas, alcançando até 18.000 kg/ha.

Área cultivada

A intenção de cultivo do arroz na safra 2011/12 deve ficar entre 2.742,9 e 2.804,3 mil hectares, dentro de um intervalo de variação de (-) 2,7 e (-) 0,6%. Esta variação está relacionada ao arroz da região Centro-Sul uma vez que nas regiões Norte e Nordeste a semeadura começa a partir do final do ano e os produtores não tem definição sobre o tamanho da área que irão cultivar.

Sistema de cultivo

O cultivo do arroz irrigado adota os sistemas: Plantio Direto, Cultivo Mínimo e Plantio Pré-Germinado. O Plantio Convencional está sendo pouco usado e justifica-se apenas quando as condições climáticas não permitem o preparo antecipado do solo. Em Santa Catarina predomina o sistema de cultivo em patamares sistematizados, onde são usadas basicamente sementes Pré-Germinadas. Já o arroz de sequeiro utiliza o sistema de Plantio Direto para as áreas cultivadas repetidamente, e o Plantio Convencional para as áreas abertas recentemente. Nas regiões Norte e Nordeste o predomínio é do Plantio Convencional tradicional.

Produtividade 

Pelos fatores disponíveis no momento, que podem influenciar na produtividade, a previsão é de que deve ficar em torno de 4.512 kg/ha. A metodologia utilizada pela Conab para estimar a produtividade prevê o uso da média obtida nas cinco ultimas safras, descartando-se os resultados atípicos. O bom senso também é uma ferramenta levada em conta quando os fatores que interferiram na produtividade podem ser duradouros, como por exemplo o emprego de tecnologia e o aprimoramento do cultivo pelos produtores.

Produção

Pela intenção de plantio manifestada pelos produtores e os informantes da Conab, a produção nacional de arroz pode ficar ao redor de 12,71 milhões de toneladas. Os mananciais de irrigação do Rio Grande do Sul estão com a capacidade de água incompleta, dependendo das chuvas de outubro para alcançar a capacidade máxima. Para as Regiões Norte e Nordeste, o fator limitante é o clima e as informações disponíveis são para os próximos três meses e o início da semeadura se dará após este período.

Estágio da cultura

Início de semeadura na região Sul. Nas demais regiões produtoras a semeadura depende do período chuvoso, o que deve ocorrer durante o mês de outubro no Centro Oeste e janeiro no Norte e Nordeste. Colheita encerrada na região Centro-Sul e em fase final nas regiões Norte e Nordeste.

Qualidade do produto

As variedades que produzem arroz longo fino de ótima qualidade para atendem as exigências do mercado, inclusive em relação às variedades de sequeiro. As variedades de alta produção (BR IRGA 424 e Puitá), têm alto potencial produtivo, mas, o desempenho na industrialização é fraco pela apresentação de defeitos no grão com barriga branca e gesso. O comportamento do clima será importante para a qualidade do produto que será colhido na próxima safra.

Fonte: Planeta Arroz

.