O Rio Grande do Sul encerrou os trabalhos de colheita do arroz. Ao todo, 8 milhões de toneladas foram colhidas. A produtividade média ficou na casa dos 7.936 quilos por hectare.

Apesar dos números serem menores, se comparados a anos anteriores, os resultados superaram as previsões feitas no início do ano, tanto pelo Irga, Instituto Rio Grandense do Arroz, quanto pela Conab, Companhia Nacional de Abastecimento.

Os orizicultores, principalmente os gaúchos, continuam em busca de medidas que auxiliem na manutenção dos preços do produto para que os custos de produção possam ser ressarcidos.

A Federarroz, entidade que agrega os produtores associados, está engajada agora na fiscalização do arroz que está sendo importado, principalmente do Paraguai. Segundo eles, o produto vindo do país vizinho é de qualidade inferior e acaba por se misturar ao brasileiro.

Segundo Henrique Dornelles, presidente da Federarroz, ideia é cobrar do Ministério da Agricultura uma fiscalização mais rígida nas fronteiras e a criação de um selo para identificar os dois tipos de arroz: o brasileiro e o importado.

Fonte: Canal Rural