Áreas de instabilidade que se formaram em grande parte do país nesta segunda-feira, 29, têm dificultado o andamento da colheita da soja e, consequentemente, o posterior plantio das lavouras de segunda safra.

A tendência é que as chuvas continuem ao longo da semana, prejudicando colheita, plantio e trabalhos de pulverização. Observa-se também um aumento considerável de focos de doenças, já que tal condição é favorável para a proliferação dos esporos.

Culturas como as de café e cana-de-açúcar, por outro lado, se beneficiarão das circunstâncias, pois o tempo mais fechado e com chuvas quase que diárias favorecem o desenvolvimento delas. Tempo aberto somente no Rio Grande do Sul.

A colheita da soja segue prejudicada também no Paraguai, onde deve chover até quarta-feira, 31. Já na Argentina, a semana segue com tempo seco e sem chuvas nas principais regiões produtoras.

Ainda não fala-se sobre quebra na produtividade das lavouras do Brasil e nem na qualidade dos grãos, já que as chuvas ao longo desta semana não virão na forma de invernada, mas sim de pancadas.

 

Fonte: Notícias Agrícolas