Os produtores de soja do Sul do Brasil aceleraram os trabalhos de plantio da safra 2011/12 na última semana, com o objetivo de mitigar o risco de uma estiagem entre dezembro e janeiro em meio à preocupação com o fenômeno climático La Niña, informou a consultoria Céleres nesta segunda-feira.

O plantio de soja na região Sul, segunda principal área produtora do Brasil, avançou para 23% da área esperada até a última sexta-feira, 10 pontos percentuais acima da semana anterior e contra 17% registrados na mesma época do ano passado.

“Com a incerteza sobre a intensidade dos efeitos do La Niña para esta safra, os produtores na região Sul estão acelerando os trabalhos de plantio para colher antecipadamente e mitigar o risco climático de uma estiagem na época de floração/enchimento de grãos”, afirmou a consultoria em relatório.

De acordo com a Somar Meteorologia, o fenômeno climático efetivamente ocorrerá durante a safra de grãos 2011/12, mas o impacto de uma eventual seca não será generalizado no Sul. “Não dá pra falar que vai ser totalmente seco. Poderá ocorrer um ou outro período de ausência de chuva (no Sul). A frente fria que ocorre de sete a dez dias, uma pode falhar, e abre janela de 15 dias de tempo mais seco”, explicou o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos.

Segundo ele, quebras de safra poderiam ser pontuais nos locais em que a seca vier a ocorrer no período de floração e enchimento de grãos. Na safra passada, o La Niña também ocorreu, mas ao contrário das previsões não faltou chuvas para as lavouras, e o Brasil colheu uma safra recorde de 75 milhões de t.

Porém alguns analistas, e o próprio governo, estão cautelosos por conta do La Niña com seus números de safra em 11/12, considerando que a produção não deverá oscilar muito em relação à anterior, apesar de um aumento na área plantada, vista em aproximadamente 25 milhões de hectares.

O avanço na semeadura no Sul também colaborou para aumentar o índice nacional de plantio, que atingiu 21% da área total esperada (versus 10% na semana anterior, 16% na mesma época do ano passado e contra 14% na média dos últimos cinco anos). Mais cedo, outra consultira, a AgRural, já havia registrado um bom desenvolvimento na semeadura na semana passada.

Os trabalhos no Centro-Oeste, a principal área produtora, também estão sendo acelerados, uma vez que os agricultores querem plantar logo para ter uma maior janela de plantio da segunda safra, de algodão ou milho. Em anos de La Niña as chuvas costumam ser mais intensas do que o normal no Centro-Oeste, o que pode afetar a colheita de soja e o plantio da safrinha, de acordo com a Somar.

O plantio de soja no Centro-Oeste, a principal região produtora, somou 26%, ante 11% na semana anterior e contra 21% na mesma época do ano passado, segundo a Céleres.

Comercialização

A Céleres apontou que o câmbio voltou a colaborar para a comercialização antecipada da safra brasileira de soja na semana passada. “A formação dos preços da soja no Brasil tem sido beneficiada pela desvalorização da taxa de câmbio e pela força dos prêmios de exportação. Por tabela, os preços no mercado local também encontraram sustentação e fomentaram a venda antecipada da produção 2011/12”, disse a consultoria.

A Céleres estima em 30% o índice de vendas da produção, contra 28%reportado na semana precedente e 25% na mesma época do ano passado. 

Fonte: Terra

.