Você já imaginou alguma atividade dando certo sem planejamento?

O planejamento das atividades que iremos realizar, dentro do setor em que estamos inseridos, é o que garante que todas as etapas sejam bem feitas e que os prejuízos sejam evitados.

Como muito já falamos nos textos aqui do nosso [Blog], a agricultura tem grande destaque no mercado mundial ao mesmo tempo em que é marcada por imprevisibilidades.

Por ser completamente dependente do clima, a atividade agrícola deve ser muito bem avaliada antes de ser implantada.

Portanto, o levantamento das condições ambientais é o primeiro passo a ser feito antes de uma cultura ser fixada qualquer lugar.

A escolha de regiões com alto potencial produtivo, onde clima e solo são adequados para a cultura, é fator decisivo para uma excelente colheita.

E quanto mais conhece-se sobre o ambiente e as condições ambientais que nele prevalecem, mais adequada será a seleção das culturas, das épocas de plantio, semeadura e colheita e dos sistemas de produção a serem adotados, resultando em uma agricultura rentável e produtiva.

O Calendário Agrícola atende a todas essas necessidades e é mais uma das inúmeras práticas que são recomendadas ao agricultor para que se tenha sucesso em todas as fases que antecedem a colheita.

Ele tem como objetivo principal apontar os melhores períodos para a realização de cada procedimento dentro do ciclo produtivo da planta, de acordo com as suas características e com as do ambiente em que está.

Sabendo que cada cultura e que cada região possuem suas naturezas próprias, o Calendário Agrícola nunca será unificado e irá se diferenciar para que todas as exigências da plantação sejam atendidas.

Mas como o Calendário Agrícola funciona?  É o que explicaremos a seguir!

O Brasil é um dos países mais produtivos do mundo.

Todos os anos, milhões de toneladas de alimentos são produzidas e a fertilidade que aqui encontramos permite a produção de até três safras de grãos no mesmo ano agrícola, fazendo com que os trabalhos de campo nunca parem.

Para que tudo dê certo, o agricultor precisa ter informações em mãos. Não é possível, por exemplo, que o arroz seja plantado em locais com extremidades de temperaturas se as plantas não suportam tais condições.

O Calendário Agrícola é esta fonte de informação ao produtor porque o ajuda na organização e no controle das melhores datas para plantio e colheita e ainda é compatível com o clima e a região que a plantação irá se desenvolver.

O Calendário Agrícola não atua sozinho e deve estar alinhado ao conhecimento de outros fatores como umidade do ar, condições do solo e disponibilidade de água da região, que influenciarão diretamente na escolha de qual cultura podem estar presentes naquele pedaço de terra.

Questões mais relacionadas à logística da propriedade, como tamanho da área e distância do local de escoamento também são importantes no planejamento agrícola da cultura.

Os registros de perdas devido a catástrofes climáticas, as variações de temperaturas e todas as informações disponibilizadas no Zoneamento Agrícola da mesma forma não podem ser esquecidos.

Com todas estas informações reunidas o produtor rural já consegue ter mãos um bom material para ser analisado e, então, levar a diante sua produção, com mais tranquilidade e segurança.

Com as condições climáticas variando fortemente de uma região para outra, o que é plantado no Sul do Brasil, por exemplo, não terá um bom desenvolvimento se plantado no Nordeste.

Por isso, o Calendário Agrícola não é uma ferramenta uniforme e deve ser estabelecido levando em conta os mais diferentes critérios de cada setor produtivo.

O que destacamos abaixo são as principais culturas do Brasil e em que características elas devem se desenvolver.

Arroz: o Arroz tem seu plantio iniciado em setembro ou outubro e a colheita abrange os meses entre dezembro e abril. Essa planta não tolera temperaturas extremas, nem baixas, nem altas, sendo dos 20 aos 35°C ideal para seu desenvolvimento. O solo que abriga essa planta precisa ser permanentemente úmido e de topografia plana para evitar a estagnação da água.

Soja: entre setembro e outubro se realiza o plantio da Soja, que irá ser colhida a partir de janeiro. A planta se desenvolve melhor em regiões de calor, frio moderado e chuvas frequentes, já que metade do peso da sua semente precisa ser absorvido em água. Solos compactados tendem a armazenar maiores quantidades de água e podem aumentar a aparição de pragas e doenças, como a Lagarta Elasmo.

Milho: as baixas temperaturas retardam a germinação do grão de Milho, sendo que o ideal para seu desenvolvimento é que os termômetros fiquem na casa dos 24 a 30°C. A colheita predomina entre os meses de janeiro e junho, diferente do plantio, que ocorre em agosto nas regiões Sul e Norte e em outubro no Sudeste, no Nordeste e no Centro-Oeste. Em algumas regiões, o milho de segunda safra ou safrinha é semeado entre janeiro e abril, sempre após a Soja.

Cana-de-Açúcar: dentre as culturas mais resistentes ao calor está a Cana-de-Açúcar. Projeções sobre o aquecimento do Planeta mostram que essa seria a única cultura que conseguiria se desenvolver em condições de extremo calor, já que a temperatura ideal para seu brotamento é acima dos 35°C. A Cana possui ainda três épocas diferentes de Plantio:

– Cana-de-ano: recebe esse nome porque seu ciclo total tem 12 meses. Aqui, o plantio é realizado entre outubro e dezembro. De abril em diante inicia-se o processo de maturação.

– Cana-de-ano-e-meio: método cuja planta leva de 15 a 18 dias pra se desenvolver e é plantada nos primeiros meses do ano, entre janeiro e março. De abril a setembro a planta se desenvolve e começa seu período de maturação.

– Cana-de-inverno: plantada no inverno, entre junho e julho, utiliza-se vinhaça para auxiliar na brotação já que o período é de estiagem.

Feijão: o Feijão não suporta baixas temperaturas nem geadas, sendo que o melhor é que seja cultivado entre 18 e 25°C. Necessita de luz solar direta, solo fértil e bem drenado.

A Companhia Nacional de Abastecimento, Conab, que tem como missão ”contribuir para a regularidade do abastecimento e garantia de renda ao produtor rural”, disponibilizou o Calendário Agrícola de Plantio e Colheita de Grãos no Brasil no ano de 2017.

A época e plantio das principais culturas do país você confere a seguir:

Fontes: Blog Jacto, Conab, Criar e Plantar, Embrapa, Hortas.Info, Inteliagro e Rehagro