Pedro Estevão Bastos, presidente da Câmara Setorial de Máquinas da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos, Abimaq, fez um alerta aos agricultores brasileiros. Segundo Bastos, eles correm o risco de não ter os equipamentos a pronta entrega caso optem por investir no segundo semestre.

Os motivos apontados são o bom momento do agronegócio, com o país colhendo a segunda maior safra de grãos da história, e as vendas que aumentaram nas feiras anteriores à Agrishow, que ocorre até a próxima sexta, em Ribeirão Preto, SP.

Ainda em análise, Bastos afirma que esperar uma redução das taxas de juros provenientes do Plano Safra não é uma boa opção, “primeiro, porque não sabemos quanto os juros vão cair, se vai ser 1%, 2%. Segundo, porque, se esperar, realmente pode faltar máquina para a safra de verão”, afirmou o presidente.

Em 2017, a venda de máquinas e implementos agrícolas teve um aumento de 7%. Para 2018, está sendo esperado um crescimento de 5 a 8 por cento, mesmo percentual estimado para a edição deste ano da Agrishow.

Os bancos também estão oferecendo condições únicas de financiamento, que não se repetem em outros momentos do ano.

João Adrien, diretor executivo da Sociedade Rural Brasileira, SRB, cita ainda a soja como sendo o principal mercado no setor de máquinas e o momento positivo que o produto vive, justificando o otimismo nos negócios.

Fonte: G1.com