Segunda safra de feijão poderá ser prejudicada

Depois de um janeiro atípico em Santa Catarina e Paraná, com o dobro de chuvas registradas para a época, Luiz Renato Lazinski, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia, INMET, afirma que as chuvas irão diminuir no centro sul do Brasil.

Produtores de feijão preocupam-se com a notícia, já que o grão é altamente sensível a falta de água durante a floração e início de formação das vagens. Irrigações suplementares, que elevam a produtividade, seriam uma alternativa para o problema, mas normalmente não são realizadas ou por falta de recursos do produtor ou por falta de tradição.

Rio Grande do Sul e Paraná registrarão grandes períodos de seca, com a possibilidade de chuvas bem irregulares, diferente de estados como Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais, onde as chuvas deverão ser abundantes.

Em decorrência do momento em que as previsões apontam para um volume diário de chuvas nessas regiões, houve uma movimentação excepcional para uma segunda-feira nas fontes em Minas e Goiás.

As vendas dos feijões recém colhidos, com nota entre 8,5 e 9, não ultrapassaram os R$ 105,00/saca. No Paraná, diversos lotes foram negociados entre 75 e 85 reais, com diferentes níveis de defeitos como manchas e alta umidade.

 

Fontes: Notícias Agrícolas

-->

Deixe um comentário

Seu email está mantido privado. Campos obrigatórios estão marcados com *

*
*

Você pode usar tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>